15 49,0138 8,38624 1 0 4000 1 https://blog.nitronews.com.br 300 true

10 Principais tendências de Marketing Digital para 2022

A transformação digital estava em curso desde o momento em que os computadores chegaram ao mercado para o grande público. Empresas visionárias entraram antes, e as mais conservadoras, mais tarde.

Independente, é inegável que a pandemia de coronavírus acelerou esse processo, e mesmo os pequenos negócios precisam se adaptar à nova realidade, caso contrário, perdem espaço no mercado para empresas mais produtivas e com alta capacidade de inovação.

Assim, o termo marketing digital se tornou mais importante do que nunca. Afinal, o público-alvo de todas as marcas está na internet buscando soluções para os problemas cada vez mais específicos e complexos.

Porém, não existe uma cartilha que garanta o sucesso nessa área. É preciso acompanhar e se atualizar como um processo de rotina. Dessa forma, criamos um conteúdo exclusivo para que você conheça as principais tendências do marketing digital para 2022. Confira!

A importância dos dados para o marketing

Marketing digital, definitivamente, não tem espaço para achismo. É fundamental ter em mente que a pandemia trouxe à tona uma nova era onde os dados e a inteligência de negócios tornaram-se imprescindíveis para o sucesso no mercado.

Na verdade, segundo o estudo State Of Marketing (2021), realizado pela Salesforce, cerca de 77% dos profissionais de marketing viram a importância do seu trabalho crescer em relação ao ano anterior.

Ainda, de acordo com o documento, 77% dos marketeiros afirmam ter mudado ou ressignificado as métricas e indicadores utilizados para compreender a eficácia das campanhas publicitárias.

Os dados são o que movem qualquer estratégia, desde o marketing de conteúdo, até o e-mail marketing. É fundamental compreender se os leitores estão, de fato, abrindo as mensagens, clicando em links, de modo geral, se relacionando com o seu conteúdo exclusivo.

De fato, aproximadamente 75% dos entrevistados para o estudo, afirmam que novas ferramentas de aquisição e processamento de dados irão surgir em 2022, dado a importância dessa área para um uso consciente e pragmático de recursos.

Marketing de conteúdo mais assertivo

Quando falamos em marketing de conteúdo, há duas linhas de pensamento. Alguns profissionais acreditam que quanto mais conteúdo de qualidade, melhor, assim a audiência permanece aquecida para realizar negócios.

Outro grupo de profissionais, e essa é a tendência para 2022, afirma que é fundamental gerar um material cada vez mais personalizado, em um ritmo menos frenético do que o experimentado nos anos anteriores.

Na verdade, segundo o Instagram, 1 bilhão de usuários ativos no mundo postam cerca de 95 milhões de fotos diariamente, porém, 70% dessas postagens recebem um número irrelevante de engajamento.

Ou seja, o volume de postagens cresce a cada dia, porém, o interesse das pessoas não acompanha esse ritmo. Essa é a razão pelo algoritmo ser atualizado diariamente, pensando em garantir que a sua base de usuários continue ativa e interaja com mais frequência.

Assim, criar conteúdo sem estratégia, apenas para preencher a agenda, é uma atitude que desperdiça recursos, e pode não gerar nenhum resultado relevante para a campanha.

Conteúdo gerado pelo usuário

Uma marca chega ao seu ápice quando os produtos e serviços são de tão alta qualidade, ou o LifeStyle dela é tão apelativo, que os clientes têm o desejo genuíno de divulgá-la ao máximo de pessoas possível.

Esse marketing é altamente rentável, justamente por não precisar de investimento direto. Se os seus clientes estão satisfeitos a ponto de postarem fotos consumindo os seus produtos, ou escrevendo avaliações online, a área atingiu o melhor dos mundos.

Em 2022, com os recursos sendo usados de forma mais estratégica, é fundamental compreender que os influenciadores digitais atingiram uma importância sem precedentes na área.

As celebridades, por muito tempo, monopolizaram a publicidade e a propaganda, mas agora, os clientes pós-pandemia buscam relações humanizadas. Se as personalidades da mídia pareciam seres inatingíveis, os influenciadores são mais palpáveis, uma vez que apresentam alguma identificação com o seu público.

De acordo com a consultoria Deloitte, o faturamento da empresa pode crescer até 30% quando essa estratégia é utilizada da maneira correta.

Além de o público se engajar com a sua marca através de pessoas que admira, você ganha duas coisas novas: mais informações sobre o público-alvo, através dos seus gostos e hábitos nas redes sociais, e também, mais engajamento por parte dos influenciadores ao postar esse material nas páginas da marca.

Marketing e internet das coisas

Atualmente o metro quadrado mais disputado não são terrenos físicos, muito menos os virtuais. O espaço mais importante, que todas as marcas querem e precisam ter acesso, é a tela do celular do usuário.

Segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV), no Brasil há cerca de 242 milhões de smartphones ativos, ou seja, mais do que um por habitante. Isso significa que, independente do seu setor, o seu público-alvo está usando esse dispositivo para buscar soluções.

Dessa maneira, é fundamental que todas as estratégias sejam adaptadas para funcionar em múltiplas plataformas, de computadores, a smartphones, passando até mesmo pelas Smart TVs.

Alguns setores podem até mesmo se beneficiar da internet das coisas para se posicionar com mais autoridade na rotina dos clientes em potencial.

Tome como exemplo o crescimento da importância dos vídeos na comunicação online. O TikTok se consolidou em 2021 como uma fonte de inspiração e dita as tendências em outras redes sociais.

Isso significa que o seu conteúdo mudou. Claro que você não precisa começar a dançar em frente à câmera, mas compreender que os vídeos agora são consumidos na vertical, e não na horizontal, justamente para se adaptar às telas dos celulares.

Ainda, os textos precisam ser mais curtos, para serem consumidos mais rápido, em pílulas. Além de os olhos cansarem ao ficar muito tempo com as luzes dos eletrônicos, a atenção do ser humano vem caindo drasticamente.

Quanto mais assertivo e mais valor você entregar em cada contato, melhores serão os resultados.

Ferramenta de e-mail marketing

Todos os anos é preciso deixar claro que o e-mail marketing está mais vivo do que nunca. Essa ferramenta de comunicação é essencial, principalmente em um cenário que as empresas estão em um misto de home office e atividades presenciais.

Seguindo a linha da disputa por um espaço na tela dos seus clientes, o e-mail marketing é uma maneira de estar em contato direto e pessoal com cada lead da sua lista de destinatários.

Segue sendo uma das ferramentas mais importantes, partindo do princípio, e da Lei Geral de Proteção de Dados, que os destinatários, deliberadamente, entregaram a chave de acesso para a caixa de entrada.

Em outras palavras, você ganhou a autorização para entrar em contato sempre que sentir necessidade de comunicar algo à audiência.

Se o cliente aceita receber as suas mensagens periódicas, abre os e-mails de maneira consistente, as chances de converter são maiores. Portanto, entre em contato com uma empresa de e-mail marketing para implementar a estratégia o quanto antes.

Experiências interativas

Quando falamos em transformação digital, o termo mais associado é inovação. É evidente, pois as demandas mudam diariamente, os problemas se tornam mais complexos, e as próprias pessoas querem consumir conteúdo de outras formas.

Tome como exemplo o reposicionamento do Facebook no mercado sob o nome Meta, com a experiência do metaverso, ou um ambiente completamente criado por inteligência artificial, através da realidade aumentada. Provavelmente essa não é uma tendência para 2022, mas certamente, para os anos seguintes.

Serve como exemplo para você compreender como as pessoas buscam se conectar de diferentes maneiras com o passar do tempo. Cada vez mais as marcas deixaram de focar tanto em vender produtos, mas em vender um LifeStyle.

Quanto mais chances o público tem de interagir com o seu negócio, maiores são as chances de realizar uma compra efetivamente. As experiências por voz, por exemplo, estão crescendo anualmente.

Segundo a Juniper Research, até 2023 espera-se que as compras feitas utilizando dispositivos de voz chegarão a bater os US$ 19 bilhões anuais. Assim, 2022 é uma janela de oportunidade para se posicionar nesse setor.

Social Selling

Essa modalidade de venda está em alta desde o início da pandemia. Trata-se de usar as redes sociais como uma ferramenta de vendas.

De fato, as próprias plataformas estão se adaptando e criando marketplaces dentro dos aplicativos, tornando a jornada de consumo mais rápida e otimizada para a maioria dos clientes.

Tente se lembrar de como era vender no Instagram há pouco tempo. Era publicar um conteúdo sobre um determinado produto, incentivando o cliente a clicar no link da bio, para então buscar esse produto dentro do site da empresa.

Durante todo esse trajeto, a chance de o usuário abandonar a compra, era muito maior. Afinal, são camadas que atrapalham a jornada a cada passo. Com essas ferramentas integradas às redes sociais, é possível resolver a demanda em poucos cliques.

É preciso ter em mente que as redes sociais não possuem a menor pretensão em sair da vida dos usuários. Elas tendem a se tornar cada vez mais importantes e decisivas para todas as empresas.

Cative antes de vender

Seguindo a linha de raciocínio das redes sociais, as empresas precisam compreender que a forma de consumir marketing mudou. No passado existia o que hoje é chamado de marketing de interrupção.

Pense nos outdoors nas ruas. Eles poluem a visão. Quando você está olhando para o cenário, é interrompido pela mensagem do outdoor.

O marketing digital faz com que as pessoas tenham o desejo genuíno de consumir o conteúdo criado pelas marcas. Com a dinâmica das redes sociais, toda empresa assume um papel de entretenimento.

É preciso gerar conteúdos criativos que não apenas vendem, mas que cativam o público e geram o desejo de compartilhar para os seus amigos. É o mesmo princípio do conteúdo gerado pelo usuário.

Esse tipo de material apresenta duas vias de crescimento para marcas no mundo digital. Em primeiro lugar, se o conteúdo é criativo e chama a atenção, poderá ser compartilhado pelo público.

Paralelamente, ao compartilhar é como se o usuário assinasse um contrato consigo mesmo. Compartilhando o conteúdo, ele cria um vínculo com a marca. Mesmo que no momento não tenha interesse em comprar o produto, quando a necessidade surgir, essa será a primeira opção, já que ele declarou publicamente apoio ao negócio na hora em que compartilhou.

Inteligência artificial

Até aqui, deixamos evidente a importância da humanização das marcas para um processo de marketing digital campeão. Afinal, em um mundo cada vez mais conectado, as pessoas buscam experiências completas e que revelam certa humanidade por trás das empresas.

Por outro lado, se engana quem pensa que isso significa colocar uma pessoa para cuidar de cada problema. A inteligência artificial, com foco nos chatbots, está em alta e cada vez mais acessível até mesmo para pequenos negócios.

É um fato, ninguém aguenta ficar horas no telefone esperando o problema ser solucionado, ou aguardar por dias a resposta de um e-mail. Os chatbots são ferramentas digitais em que os usuários consegue conversar com uma inteligência artificial, disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Dessa maneira, é uma forma ágil de solucionar os problemas mais simples da sua audiência. Já as questões mais complexas são segmentadas pela ferramenta, e direcionadas com assertividade para os setores competentes.

Isso economiza tempo do seu cliente em potencial, que sai satisfeito por ser atendido rapidamente, e aumenta a produtividade da equipe, que não precisa se preocupar com questões mais simples.

Foco no cliente

O foco no cliente é um comportamento antigo e consolidado no mercado. Quando os consumidores compreendem que a marca possui a sua satisfação como principal propósito, maiores são as chances de fechar negócio.

Isso significa, através dos dados, relações em redes sociais e respostas dos seus clientes, compreender quais são as demandas reais do público-alvo. A segmentação é, e continuará sendo uma tendência para os próximos anos.

Com os problemas se tornando cada vez mais complexos, as soluções precisam ser personalizadas e sob medida. Com isso em mente, a sua marca tende a atingir resultados com mais assertividade e menos desperdício de recursos.

Atualmente é fundamental compreender que nenhuma marca vende para todas as pessoas, mas para as que possuem interesse genuíno em consumir não apenas o produto, mas todo o ecossistema do negócio.

Aplique essas técnicas e veja o seu marketing digital atingir um novo patamar em 2022!

Post anterior
As 10 Criptomoedas ligadas ao Metaverso com grande potencial de valorização
Próximo post
Plano de Marketing para 2022

0 Comentário

    Deixe uma resposta

    Aprenda sobre marketing digital!

    Fique por dentro das novidades em nosso blog e obtenha o máximo de suas ações de marketing digital.

    Email cadastrado com sucesso!